quarta-feira, 18 de maio de 2022

O Camião das Histórias - Вантажівка Історій

 Edição Bilingue - Português - Ucraniano - Edição especial, maio de 2022

Texto: Rosário Alçada Araújo | Ilustração: Patrícia Furtado

Tradução: Olesya Zaruma Biletska  | Edição: ASA

Edição em Português  
 

O pai vê histórias em todos os lugares. E o menino escuta-as como se tudo tivesse acontecido ali mesmo ao seu lado. Lá vão eles, todas as manhãs, a espalhar magia pela estrada fora dentro de um camião do lixo. Uma casa, um espelho partido, uma planície e até um sapato velho servem de inspiração para recordar histórias que ficarão para sempre no coração do menino. 

Idade recomendada: até 6 anos

terça-feira, 17 de maio de 2022

O Menino que Gostava de Toda a Gente

Texto: Jane Porter | Iustração: Maisie Paradise Shearring

Edição: Fábula

"Era a hora do conto. Todos se mexeram e remexeram até estarem
prontos para o ouvir. O Duarte, que era novo na escola,
encostou a cabeça ao ombro do Luís.
— Gosto de ti, Luís — disse.
O Luís não sabia o que dizer, por isso não disse nada.
A professora começou a contar a história.
Era sobre um dragão, um vulcão e um bule mágico.(...)"
 

Quando dizes às pessoas que gostas delas, elas sentem-no, mesmo que nem sempre o consigas ver. O teu amor espalha-se e cresce em novos sítios. 

Esta é uma história aparentemente simples, mas muito tocante na forma como aborda a difícil arte dos relacionamentos humanos. Como dizer aos outros que gostamos deles? Como fazer novos amigos? Como reagir às palavras e aos gestos de quem se aproxima de nós? 

"O Menino que Gostava de Toda a Gente" é uma história sobre a importância dos pequenos gestos de amor, afeto e acolhimento. Promove a aceitação da diferença, os gestos de bondade e a inteligência emocional.

PRÉMIOS — Distinção da Amnistia Internacional de livro que inspira o ativismo; Little Rebels Award 2020; Finalista do Derby Children’s Picture Book Award 2021.

segunda-feira, 16 de maio de 2022

O QUIOSQUE de Anete Melece

  

Autor: Anete Melece | Orfeu Mini

A Olga é a dona do quiosque mais famoso do bairro. Todos os dias, sorridente, diz olá aos seus fregueses e sabe de cor o que querem. O quiosque é a sua vida.


"O senhor do cão maluco compra o jornal todas as manhãs.

A rapariga de coração partido folheia as revistas à procura de conselhos.

O homem dos óculos escuros lê o horóscopo e compra várias raspadinhas.(...)"


Mas, às vezes, a Olga gostava de sair, viajar e visitar as mais belas praias ao pôr do sol. Certa manhã, uma série de acontecimentos inesperados vira o mundo da Olga literalmente de pernas para o ar... Querem saber o que acontece a seguir?

Este livro baseia-se no filme de animação The Kiosk.

Um álbum inusitado e divertido, que nos inspira a ir ao encontro dos nossos sonhos!


Prémio Peter Pan 2020 | Honra IBBY 2020 | Prémio Orbil de Álbum Ilustrado 2020

quarta-feira, 4 de maio de 2022

Gadunhas

 Texto: Margarida del Mazo | Ilustração: Charlotte Pardi | Edição: OQO

— Eh lá! O Cachucho deitou um foguete!

— Não me chamo Cachucho. Chamo-me

Gadunhas, o que nunca corta as unhas!

– respondeu o bruxo, indignado.

— Não me faças rir. Tu és o Cachucho!

— Estou-te a dizer que não. Sou o Gadunhas!

— Eh lá! O Cachucho deitou um foguete!

— Não me chamo Cachucho. Chamo-me

Gadunhas, o que nunca corta as unhas!

– respondeu o bruxo, indignado.

— Não me faças rir. Tu és o Cachucho!

— Estou-te a dizer que não. Sou o Gadunhas!

Pode parecer estranho, mas estamos perante o início de uma grande amizade: entre um bruxo que caça meninos para a sua despensa e aquela que iria ser a sua próxima vítima. Contudo, a in- teligência da pequena Branca vai evitar que Gadunhas a coma. E mais, vai fazer com que a vida desta personagem que nunca cortava as unhas dê uma volta de 360 graus.

Branca é astuta como uma raposa e esperta como uma coruja. Gadunhas, carecendo destas duas qualidades, é presa fácil para o jogo de confusão que a menina inicia quando, certa noite, o bruxo entra no seu quarto para a devorar.

Branca insistiu, paciente:

— Não sejas caramelo e olha bem para o teu cabelo.

O bruxo tirou o chapéu e, quase a chorar, disse:

— O que é que tem o meu cabelo?
— Qual cabelo? São três ou quatro cabelos… Os cabelos do Bruxo Cachucho!

Riduculizado algumas das suas caraterísticas físicas, às quais Gadunhas nunca antes prestara atenção, Branca consegur que o bruxo duvide da sua identidade – e até de que a possa comer – e acabe por fugir para sua casa, desconsertado e deprimido.

Desta forma, o carrasco passa a ser a vítima. E vice-versa. Não obstante, nem o texto de Margarita del Mazo nem as ilustrações da dinamarquesa Charlotte Pardi nos levam a crer que estamos perante uma história cruel ou triste. Antes pelo contrário. A história destila humor, tanto através dos engenhosos diálogos da habitual colaboradora da OQO, como das divertidas e frescas imagens com que a artista dinamarquesa se estreia na editorial.

«Ri-me às gargalhadas enquanto escrevia esta história. Chorei a rir quando a partilhei com os meus. Quando a comecei a escrever, pensei que estava a fazer uma história para morrer de medo, mas o resultado foi uma história que nos fazia morrer a rir», destaca Margarita del Mazo.

O conto vai mais para além do entretenimento, uma vez que a principal mensagem gira em torno da astúcia, «qualidade que transforma o mais fraco em forte», destaca a escritora, que também considera importante «ver-se de vez em quando ao espelho, para que ninguém seja enganado se lhe disserem que é de outra maneira».

O papel de Charlotte Pardi é muito importante precisamente na aparência física de Gadunhas. A ilustradora reconhece que levou algum tempo a decidir o seu aspeto. «Tinha de provocar algum medo, mas também transmitir doçura”, aponta sobre as dificuldades que enfrentou para criar uma personagem não muito agraciada, nem física nem intelectualmente.

Em contrapartida, admite que foi «fácil» dar vida à menina. A artista costuma inspirar-se em pessoas do seu círculo para criar as personagens. Neste caso, Branca tem muito da sua afilhada, «que é muito divertida e inteligente, a criança perfeita para enganar o Gadunhas!»
Alén disso, idealizou um quarto com um grande número de peluches, para ela não ficar a sós com Gadunhas. Apesar da aparição noturna de um bruxo, Branca permanece, surpreendente- mente, tranquila e segura. São os bonecos – com os seus olhos abertos e a sua atitude exprec- tante – que nos trasmitem um estado de alma mais apropriado e de acordo com a situação.


Deste modo, Charlotte Pardi usou um recurso muito habitual nos mais pequenos: expressar os sentimentos (medos, inseguranças, filias ou fobias) através dos bonecos. Um papel também desempenhado por histórias como esta.

segunda-feira, 2 de maio de 2022

O COLAR MÁGICO

                            Título original: Le Collier Magique           

Texto: Souleymane Mbodj | Ilustração: Magali Attiogbé

 Tradução: Ariana Furtado | Edição: Orfeu Negro

Há muito, muito tempo viveu um feiticeiro chamado Karamoko. Entre os animais corria o rumor de que ele criava um colar que tornaria invencível aquele que o usasse.
 
 
 
A notícia espalhou-se como um caminho de pó na savana, no mato e na floresta, e todos fizeram fila à porta de Karamoko. A hiena, a lebre, o leão e o hipopótamo pediram, exigiram ou ameaçaram. Quem herdará o tão cobiçado gri-gri mágico?

Inspirada na literatura oral africana, nesta fábula contemporânea desfilam vaidades
e medem-se ambições.
Um álbum mágico cheio de cor e humor, com todos
os ingredientes para os mais pequenos: um animado corre-corre de animais,
ao qual não falta uma impressionante montanha de cocó.

domingo, 1 de maio de 2022

Mãe de Anna Llenas

 

Autor: Anna Llenas | Edição: Porto Editora 

"sou a tua casa.

és a minha luz.

sou o teu mar.

és a minha semente. 

és como uma flor.(...)"


Mãe-casa, mãe-refúgio, mãe-mar...
Bebé-semente, bebé-luz, bebé-flor...

Ser mãe é uma das coisas mais maravilhosas que pode acontecer na vida. É uma ligação muito especial com outro ser, que começa na gestação e se mantém para a vida toda. Este livro pretende acompanhar a magnífica experiência que é a gravidez, para que, um dia, possam recordar o que viveram e sentiram.

O livro "Mãe"cujas páginas que acompanham o crescimento da barriga da mãe ...

Idade recomendada: até 6 anos

sábado, 30 de abril de 2022

O Dia Em Que Chegaste

Texto: Dolores Brown | Ilustração: Reza Dalvand | Edição: Fábula

Às vezes, quando queremos muito uma coisa,
parece-nos que a espera não tem fim.

Esperamos muito por ti.

não sabíamos quando virias.

Um dia, finalmente chegaste.

Uma história sobre a adoção, que conta a chegada de uma criança à sua nova família.

Percebemos a expetativa, os preparativos e a alegria de todos.

Apresenta com poucas palavras, mas com detalhes subtis, como foi vivido este momento.

O cuidado, a beleza, a espera, a felicidade.

Texto terno e encantador de Dolores Brown com delicadas ilustrações do autor persa premiado e aclamado pela crítica Reza Dalvand.

 

Idade Recomendada: + 4 anos

  

Chega a todas as livrarias a 02 de maio.  

quarta-feira, 27 de abril de 2022

O Nevoeiro de Marco Taylor

Autor: Marco Taylor

"Na aldeia, comunicávamos muitas vezes por assobios, porque penetrava melhor entre as minúsculas e leves gotas de água, chegando mais longe. Nos dias de nevoeiro denso, essa era a melhor maneira de dizermos o que queríamos. (...)"

Uma menina vive numa pobre aldeia que está sempre envolta pelo nevoeiro. Quem tenta sair não volta.

Este é um livro objeto, numerado à mão, com ilustrações sobre papel vegetal, com linhas adicionadas à mão pelo autor.

Faixa etária aconselhada: + de 9 anos
Recomendado pelo Plano Nacional de Leitura

https://www.marcotaylorautor.com

sexta-feira, 22 de abril de 2022

Dia Mundial do Livro -2022

 

cartaz da DGLAB de Susa Monteiro

A UNESCO instituiu o dia 23 de abril como o "DIA MUNDIAL DO LIVRO", em virtude de nessa data se assinalar o dia do falecimento de alguns escritores importantes para a literatura mundial, como Cervantes e Shakespeare.

A ideia de um livro, uma rosa - teve origem na Catalunha (Espanha). A 23 de abril, dia de São Jorge, uma rosa é oferecida a quem comprar um livro. Mais recentemente, a troca de uma rosa por um livro tornou-se uma tradição em vários países.

terça-feira, 19 de abril de 2022

Brincamos às escondidas

 

Autor: Verónica Fabregat | Edição: Akiara

Brincamos às escondidas  é um “silent book”, ou livro sem palavras, que inicia uma nova coleção para a primeira infância. Parte do jogo tradicional das escondidas, cujas regras são comuns a muitas culturas, e a partir desta estrutura conhecida faz-se um passeio pela floresta e pelos diferentes ambientes que a compõem (cada um deles com a sua fauna e flora características).

O jogo, que era o pretexto, passa para segundo plano quando as crianças se deixam maravilhar pela natureza, se afastam do caminho e se abrem a novas experiências. O livro constitui assim uma ode à amizade, mas é também uma ode ao jogo livre, no qual os adultos não intervêm. As crianças aborrecem-se ao principio, decidem brincar, escondem-se, vão-se descobrindo umas às outras, regressam para procurar o amigo que falta... tudo isto de maneira autónoma e livre.

O guião está tão trabalhado que não fazem falta as palavras. Desta forma, cada leitor pode acabar por criar a sua própria história, adotando um papel mais observador e ativo. As ilustrações muito detalhadas, feitas a lápis de cor, permitem ir descobrindo os animais escondidos em cada cena e conhecer a personalidade de cada um dos sete amigos. Trata-se do primeiro álbum da ilustradora e designer de Castellón de la Plana Verónica Fabregat, mas está já previsto que ela faça outros dois títulos, também inspirados em jogos tradicionais e em paisagens distintas.


Brincamos às escondidas é o primeiro título da nova coleção AKIMIRA: jogos sem palavras. Com um formato muito especial e produção local e sustentável, o livro mostra como também se pode contar uma história só com imagens.

Idade recomendada: a partir dos 2 anos

sábado, 16 de abril de 2022

"Uma longa viagem"

 Texto: Daniel H. Chambers | Ilustração: Federico Delicado

Tradução: Elisabete Ramos | Edição: Kalandraka

"- É hora de partir, pequena.

- Porquê, mamã? 

- O frio está a chegar e não podemos ficar aqui.

- Então para onde vamos?

- Para sul.

- Preparem-se, temos de ir embora!

- Para onde papá?

-Não sei, mas para algum sítio longe daqui.

- Porque a guerra começou."

Num tempo marcado pelo drama dos refugiados, uma obra oportuna e necessária para reflexão, esperança e solidariedade com milhões de pessoas que têm o direito de viver em paz e liberdade.

sexta-feira, 15 de abril de 2022

Como enfrentrar o medo e a crise dos refugiados?

Como enfrentar o medo 

e a crise dos refugiados?  

Nesta primavera, a AKIARA publica três álbuns ilustrados muito profundos e atuais, nos quais vinha trabalhando há mais de um ano, e que refletem sobre o medo (em todos os seus matizes) e também sobre a crise dos refugiados. Depois de dois anos de pandemia e com imagens de guerra que nos chegam todos os dias, é necessário oferecer bons materiais aos mais pequenos para os ajudar a digerir tudo o que estão a viver.

 Porque temos medo?

                      Texto: Fran Pintadera | Ilustração: Ana Sender 

     Tradução: Catarina Sacramento Edição: Akiara

 «Papá, alguma vez tiveste medo?», pergunta o Max.(...)"

Um álbum ilustrado cheio de poesia, para nos lembrar que o medo nos acompanha desde sempre e precisa de ser expressado; nos põe alerta e nos dá a oportunidade de chegar a lugares inexplorados do nosso interior. 

 Idade recomendada: + 5 anos

Filas de sonhos 

  Texto: Rita Sineiro | Ilustração: Laia Domènech | Edição: Akiara

Filas de sonhos é um conto lindíssimo sobre a crise dos refugiados, vista através dos olhos de um menino fechado num campo de acolhimento. A autora portuguesa Rita Sineiro inspirou-se no pequeno Alan Kurdi, que apareceu afogado numa praia da Turquia. Laia Domènech demorou dois anos a ilustrar este livro, com pastéis a óleo, depois de se documentar a fundo. Por circunstâncias da vida, o livro vê a luz num novo contexto de guerra e refugiados. Infelizmente, todas as guerras se parecem muito... Há um dia em que começam a cair bombas, e é preciso fazer as malas e ir embora. Este é um álbum profundo e terno, com toques de humor e um final muito emotivo que nos ajuda a ver a crise dos refugiados a partir de dentro, com empatia.

Idade recomendada: + 5 anos

segunda-feira, 11 de abril de 2022

Dicionário básico Português - Ucraniano

Португальська для українців 

 Português para Ucranianos

Para ajudar os ucranianos que chegam a Portugal a página RTP Ensina tem disponível desde esta quinta-feira, 7 de abril, um breve dicionário com algumas das palavras mais úteis e práticas para quem chega ao país.

O coordenador do RTP Ensina, João Barreiros, explica o objetivo deste recurso serve não só para alunos ucranianos que estão já no sistema de ensino, mas também para os alunos portugueses que queiram comunicar ou aprender algumas palavras desta língua.

imagem: rtp 

Palavras que pode encontrar na página ensina.rtp.pt - o portal de educação da RTP.

terça-feira, 5 de abril de 2022

Estamos com as crianças no coração

 

             Painel realizado pelas crianças do JI Casa do Alto, Maia

       💙💛💙💛💙💛💙💛💙💛

sábado, 2 de abril de 2022

A Menina que Queria Salvar os Livros

Texto: Klaus Hagerup | Ilustração: Lisa Aisato |edição: Nuvem de Letras

Anna tem quase 10 anos e adora ler. A sua paixão pelos livros é tal que passa a maior parte do tempo livre na biblioteca e o seu melhor amigo é o bibliotecário Monsen.

Um dia, porém, Monsen conta a Anna algo absolutamente devastador: os livros que ninguém lê são levados para serem destruídos. Que imagem terrível! Mas, então o que acontecerá às personagens desses livros? Terão semelhante destino? Só Anna pode evitar a tragédia que seria perdermos o acesso a todos esses mundos e personagens mágicos contidos em tantas e tão maravilhosas páginas.

Uma viagem extraordinária com uma missão aparentemente impossível:

salvar todos os livros do esquecimento.

A história poderosa de um amor inspirador e sem limites: 

o amor pela literatura.

"DIA INTERNACIONAL DO LIVRO INFANTIL" - "CHILDREN`S BOOK DAY" 2022

cartaz: Julie Flett

O "Dia Internacional do Livro Infantil" comemora-se em todo o mundo, no dia 2 de abril, data do nascimento de Hans Christian Andersen, chamando-se a atenção para a importância da leitura e para o papel fundamental dos livros para a infância. Para comemorar o dia dedicado a Hans Christian Andersen, o IBBY Internacional convida anualmente um país a dar o mote e a escrever um texto alusivo à literatura para a infância. O tema deste ano" Histórias são asas que nos ajudam a planar todos os dias",  é da responsabilidade do Canadá, o texto é da autoria de Richard Van Camp e o cartaz de Julie Flett.

Histórias são asas que nos ajudam a planar todos os dias

Ler é liberdade. Ler é respirar.
Ler deixa-nos ver o mundo de uma outra forma e convida-nos para mundos
que nunca vamos querer abandonar.
Ler permite que o nosso pensamento sonhe.
Dizem que os livros são amigos para a vida, e eu concordo.
O nosso universo perfeito só cresce quando lemos.
Histórias são asas que nos ajudam a planar todos os dias, por isso escolhe os
livros que te falem ao espírito, ao coração, ao pensamento.
Histórias são remédios. Elas curam. Elas confortam. Elas inspiram. Elas
ensinam.
Abençoados os contadores de histórias e os leitores e os ouvintes.
Abençoados sejam os livros. Eles são o remédio para um mundo melhor e mais
brilhante.
Mahsi cho. Muito obrigado. 

Texto de Richard Van Camp (tradução de Maria Carlos Loureiro)

terça-feira, 29 de março de 2022

Obrigado - Uma história de vizinhos


Autor: Rocio Bonilla | Edição: Jacarandá 

"Era uma vez um bairro igual a tantos outros.

Tinha casas, candeeiros de rua, árvores...

e vizinhos que não se conheciam...

A Camila morava no número 15. Ouvia-se sempre

muito barulho vindo da sua casa.  Os vizinhos

julgavam que a Camila era um bocado surda e que,

por isso, tinha de pôr o som da televisão muito alto. (...)"

Graças a uma avaria inesperada, a vida no bairro vai mudar radicalmente. Graças à curiosidade e à empatia, os vizinhos vão percorrer um longo caminho. E fá-lo-ão juntos. Uma história de convivência e relações humanas. Uma história sobre todos nós.

Idade Recomendada:  dos 3 aos 6 anos

segunda-feira, 7 de março de 2022

Guerra: livros que ajudam a lidar com medos, angústias e perguntas difíceis

 
 Ilustração do livro A Viagem (editora Fábula), de Francesca Sanna
 

Reunimos uma seleção de títulos que podem servir de ponto de partida para abordar com os mais novos a atual situação que a Europa atravessa. Porque existe guerra? A quem serve? Quando acaba? Para onde vão todos os refugiados?


Numa altura em que ainda estamos a sair de uma pandemia, as crianças confrontam-se agora com uma nova fonte de medo e ansiedade. Como sempre, os livros podem ser uma preciosa ferramenta para lidar com as dúvidas, perguntas e receios. 

 

Booksmile

O Rapaz ao Fundo da Sala
Notável obra de estreia, inspirada em histórias verdadeiras de pessoas que a autora conheceu em campos de refugiados. A importância da amizade e da bondade num mundo tantas vezes intolerante e sem sentido. Vencedor dos prémios Blue Peter e Waterstones para Melhor Livro Infantil. 

http://www.maletadamarieta.pt/2019/11/o-rapaz-ao-fundo-da-sala.html?m=1

 

 Fábula

A Viagem
Como será deixar tudo para trás e percorrer quilómetros e quilómetros rumo a um destino longínquo e estranho? Este livro conta, de forma cuidada e sensível, a história de uma mãe que parte numa viagem com os dois filhos para fugir à guerra. Uma viagem carregada de medo do desconhecido, mas também de muita esperança. Uma autora com uma escrita sensível e ilustrações bonitas e sofisticadas. Aborda com sensibilidade a questão da guerra. Apoiado pelo Alto Comissariado para as Migrações (ACM) e pela Amnistia Internacional (AI). Multipremiado e com excelentes críticas internacionais.


Eu e o Meu Medo 
Quando uma menina muda de país e entra para uma escola nova, o seu medo tenta convencê-la a ficar sozinha e assustada. Como pode ela fazer amigos, se não entende o que as pessoas dizem? De certeza que mais ninguém se sente assim? Depois da obra-prima A Viagem, que alcançou um enorme sucesso, Francesca Sanna conta-nos, com delicadeza, como podemos encontrar amizade e conforto quando partilhamos os nossos medos.

http://www.maletadamarieta.pt/2019/04/eu-e-o-meu-medo-de-francesca-sanna.html

 Um Dia / A Seguir / Depois / Em Breve / Talvez / Agora
Há épocas e acontecimentos que não podem ser esquecidos. O aclamado e multipremiado escritor britânico é autor de uma série essencial sobre a vida de Felix, um órfão judeu durante a II Guerra Mundial.

http://www.maletadamarieta.pt/2021/01/talvez-de-morris-gleitzman.html?m=0

Pax
O Peter e o Pax são inseparáveis. Desde que o Peter resgatou o pequeno raposinho, os dois tornaram-se parte um do outro, vivendo grandes aventuras e momentos inesquecíveis. Mas o inimaginável acontece: o pai do Peter parte para a frente de combate, o rapaz tem de ir viver com o avô e, contra a vontade do Peter, o Pax é «libertado» na floresta. Uma narrativa maravilhosa e mágica sobre as verdades essenciais que nos definem.

http://www.maletadamarieta.pt/2016/03/pax.html

Quando Hitler Roubou o Coelho Cor de Rosa
Publicado originalmente há 50 anos, este clássico da literatura infantojuvenil conta uma história inspirada na vida da própria autora, Judith Kerr (1923-2019), e na fuga da sua família ao nazismo, na Segunda Guerra Mundial. 

http://www.maletadamarieta.pt/2015/11/quando-hitler-roubou-o-coelho-cor-de-ros.html

Nuvem de Letras

O Muro no Meio do Livro
O muro no meio do livro é, supostamente, para proteger um lado do livro do outro lado. Supostamente.
Uma metáfora com uma clara mensagem política sobre a divisão das nações e a construção de muros. Uma história simples e inteligente, com ilustrações fabulosas que provoca a discussão de temas fundamentais.

http://www.maletadamarieta.pt/2020/03/o-muro-no-meio-do-livro.html?m=1

 Nuvem de Tinta

  Nevoeiro em Agosto
Contada através da perspetiva do jovem Ernst, esta é a história trágica, mas verdadeira, da sua breve vida e da sua luta pela verdade e pela liberdade. Um relato de coragem e amizade no cenário desesperante de guerra e ódio que varreu a Europa durante a segunda guerra mundial.

 

Estes 13 livros indicados para diferentes faixas etárias, e com selo da Booksmile, Fábula, Nuvem de Letras e Nuvem de Tinta, chancelas infantojuvenis da Penguin Random House Grupo Editorial, vários destes títulos fazem parte do Plano Nacional de Leitura e estão disponíveis nas livrarias.

 

terça-feira, 1 de março de 2022

"A GUERRA"

 

Texto: José Jorge Letria | Ilustração: André Letria | Edição Pato Lógico 

Nasce como doença sussurrada e cresce a partir do ódio, da ambição e do medo. Não ouve, não vê, tão-pouco sente; mas esmaga e cala. A guerra é, porventura, o mais perene produto em série alguma vez inventado.

Como explicar a guerra às crianças...

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022

"Sê uma Árvore"

 

Texto: Maria Gianferrari | Ilustração: Felicita Sala | Edição: Fábula

A um mês da primavera, ansiamos pela chuva que faz a erva crescer, os campos florir e a seca diminuir. Tal como nos conta este livro, cada um de nós é como uma árvore e, juntos, somos uma floresta. Partilhamos alimento, cooperamos, os novos ajudam os velhos, os saudáveis amparam os doentes. Temos muito a aprender com as árvores e elas inspiram-nos a sermos pessoas melhores. 

Sê uma Árvore, escrito e ilustrado por duas autoras premiadas, oferece um texto em forma de verso que dá a conhecer a vida das árvores e como podemos ser como elas. 

Informativo e inspirador mostra como as árvores (e os seres humanos) vivem em comunidade e são importantes para o bom funcionamento do nosso planeta.  
 
Já nas livrarias.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2022

"Agora" de Morris Gleitzman

 

Autor: Morris Gleitzman | Edição: Fábula

"Agora, finalmente.
Chegou.
Consigo vê‑la na prateleira dos Correios.
Obrigada aos Correios da Austrália pelos seus simpá ‑
ticos balcões de levantamento de encomendas, em vez de irem entregá‑las diretamente aos avós e nos estragarem as surpresas de aniversário.
— É aquela ali — digo ao senhor que está atrás do bal
cão. — Aquela que tem o meu nome.
Mostro‑lhe o meu caderno dos trabalhos de casa, que
tem o meu nome, para provar que sou mesmo eu.
— Hum — diz o senhor. — Zelda. Bonito nome. Bastante exótico e algo incomum.
— Na verdade, é de outra pessoa — respondo ‑lhe. —
Recebi‑o em segunda mão.
— Percebo o que sentes — diz‑me ele. 

E aponta para o crachá com o seu nome, que diz Elvis

 Olhamos um para o outro com empatia. O Elvis entrega‑me o embrulho postal almofadado. (...)"

Felix, um órfão judeu, polaco, que sobreviveu aos horrores da Segunda Guerra Mundial, tem 80 anos. A vida na Austrália, como refugiado de guerra, permitiu-lhe constituir família e estudar medicina, mas as lembranças do passado continuam presentes e são dolorosas. Felix acolhe temporariamente a neta Zelda, de 12 anos, porque os pais estão numa missão de ajuda humanitária. Esta é uma boa oportunidade para ela conhecer melhor o avô, que continua a receber homenagens pelos atos heroicos que praticou.

Até que os acontecimentos se precipitam e também ela terá de estar à altura. Quase tão mau como um cenário de guerra, é um cenário de incêndio de grandes proporções, incontrolável, sobretudo quando as temperaturas são muito elevadas.

O mundo mudou, o clima está a mudar, mas há coisas que não mudam. Há que saber lidar com os desafios que surgem: violência, exclusão, injustiça, desastres naturais, perigo de vida e… arrependimento. Não somos os mesmos depois de vivermos situações tão difíceis.

Uma história emocionante que não deixará ninguém indiferente.

Este é o sexto de uma série de romances juvenis sobre Felix Salinger, um órfão judeu em plena Segunda Guerra Mundial. Todos os títulos anteriores fazem parte do PNL, podendo ser lidos separadamente e por qualquer ordem.

 Idade recomendada: + 13 anos

domingo, 13 de fevereiro de 2022

Avó Z de Daniel Gray-Barnett

Autor: Daniel Gray-Barnett | Edição Fábula

"Num dia normal,

Numa cidade ainda mais normal,

era o aniversário do Alberto.

Todos os anos, o Alberto desejava que

o dia do seu aniversário fosse especial...

...mas era tão normal

como todos os outros dias normais.

- Posso ter uma pinhata-robô?

Ou fazer um bolo?

- Ah, isso é que não - disse a mãe. Sabes com é

o teu pai: detesta confusão.(...)"

A vida do Alberto é normal, previsível e monótona.

Até que, inesperadamente, no dia do seu aniversário,

a avó Z chega à cidade e leva-o numa extraordinária aventura.

A vida do Alberto nunca mais será mesma!

Avó Z tem textos e ilustrações do premiado autor australiano Daniel Gray-Barnett. Uma história muito original, de uma avó extravagante e da magia que traz à vida do seu neto «normal»

Chegou esta semana às livrarias!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2022

Octocuecas

Texto: Suzy Senior | Ilustração: Claire Powell | Edição: Minutos de Leitura

Uma história hilariante, repleta de rimas e roupa interior subaquática!

As cuecas perfeitas são difíceis de encontrar, sobretudo para alguém como o Polvo. Mas não haveria de ser impossível… afinal, todos os peixes no mar
pareciam ter umas, menos ele.

Ainda assim, seria mesmo de umas octocuecas, aquilo que o polvo precisava?

Porque não mergulhar nesta história para descobrir?

Recomendado para crianças de Pré-escolar.